por ANTONIO MENDES DA SILVA FILHO

Doutor em Ciência da Computação (UFPE)

 

Criatividade no ambiente corporativo (2)

 

Criatividade nas Instituições

Não entendo como instituições de várias naturezas não dão a devida atenção a criatividade dentro do ambiente de trabalho. Isso vale para todos os setores, desde empresas produtoras de bens e serviços a outras instituições do meio comercial, bancário, além de necessariamente incluir instituições de ensino, pesquisa e inovação.

É preciso oferecer um pouco de liberdade aos alunos, sua equipe, funcionários para que eles possam inovar, propor, criar, enfim serem humanos, pois isso é parte intrínseca do intelecto humano. Permita aqueles que estão ao seu lado tenha a liberdade de imaginar. Por exemplo, se você é professor, faça seus alunos ensinarem aquilo que eles deveriam aprender. Você irá notar que eles buscarão inúmeras e criativas formas de como realizar da melhor maneira possível o trabalho. Aprendizado baseado no ensino é uma abordagem que estimula a criatividade. E note que isso não vale apenas para a área de ensino, mas para todas as áreas. Numa série de artigos anteriores que escrevi, os quais listados se encontram no final deste texto, você poderá achar outras informações pertinentes ao tema criatividade. Neste especificamente, eu trato de duas características importantes ainda não discutidas, mas que têm sua relevância. Aqui destaco para você a importância da monotonia e agnosticismo e ao final apresento um conjunto de dicas para as instituições e aqueles leitores que de como podem trabalhar a criatividade dentro e fora das instituições.

Monotonia

Em outro artigo, salientei a pouca ou nenhuma preocupação que pessoas criativas têm com a organização. Isto decorre do fato delas não disporem de tempo de arrumarem ou mesmo não terem qualquer preocupação em arrumar seu ambiente de uso, mantendo-o desorganizado e confuso.

Essa não preocupação com os detalhes da vida como a organização de um local de residência e trabalho, o tipo de alimentação e vestuário do cotidiano desses indivíduos, geralmente, o caracterizam como tendo uma vida com rotina monótona. Essas ‘preocupações da vida’ não são consideradas como necessidades, uma vez que os indivíduos criativos consideram um desperdício de tempo dar qualquer atenção a esse tipo de preocupação. Para os demais, que observam essas pessoas, os indivíduos são taxados como desorganizados e até relaxados. Talvez, de maneira inconsciente, eles tenham essa atitude de aversão a dar qualquer valor a essas ‘preocupações do dia-a-dia’ porque elas servem, simples e unicamente, para lhes ‘roubar’ tempo de momentos criativos.

Agnosticismo

Agnosticismo refere-se a qualquer doutrina que afirma a impossibilidade de conhecer natureza última das coisas. Trata-se de algo relacionado ao ateísmo, isto é, a falta de crença em Deus. Vejo agnosticismo como um conceito mais amplo. Entre os cientistas, observa-se que a grande maioria deles são ateus ou agnósticos, quando comparada a toda população. Não acredito que haja uma incompatibilidade entre fazer ciência e ser religioso, mas apenas dado que aponta esta dissociação. Essa ‘incompatibilidade’ em fazer ciência e religião pode se explicada pelo motivo dos cientistas aplicarem os mesmos métodos utilizados na ciência à religião, bem como se recusarem a aceitar o dogma da fé.

Os indivíduos criativos, assim como os cientistas são levados a investigar e testar experiências resultantes da fé. Em outras palavras, para eles a crença não deve ser resultante da fé, mas do teste e da experimentação. Essa característica, quando observada isoladamente, não pode ser atribuída exclusivamente a pessoas criativas. O inverso também é verdadeiro. Todavia, tem-se dentre as pessoas criativas e, mais notadamente, cientistas criativos o fato deles serem agnósticos ou ateus.

Lições para Instituições

É essencial compreender a criatividade a fim de que possamos descobrir e saber como, quando e onde podemos fazer uso dela. Criatividade compreende a habilidade de produzir coisas e conhecimentos novos, diferenciando-se da inteligência que pode ser definida como a habilidade de raciocinar e aprender.

Ao lidar com pessoas criativas, deveríamos tratá-las com respostas criativas. Mas, como? As respostas e relacionamento deveriam oferecer apoio, valorizando seus pontos fortes e não meramente tendo um foco nos pontos fracos. Momentos de criação podem ser, facilmente, perdidos e são tidos como ‘frágeis’. Similarmente a uma criança, eles precisam de apoio e proteção.

Pessoas criativas têm necessidade de externarem sua(s) idéia(s). Mas, por que? Tais pessoas têm receio de que sua(s) idéia(s) se perca(m). Daí, a necessidade de externarem ela o quanto antes. O resultado disso é que muitos indivíduos em sua diligência para realizar uma atividade, criar uma nova idéia ou produto, trabalham de maneira quase ininterrupta.

Pessoas criativas têm elevado grau de concentração. Os indivíduos criativos freqüentemente demonstram grande capacidade de concentração, empenho e originalidade quando estão executando tarefas ou se encontram envolvidos em projetos importantes. Para aqueles que observam tais indivíduos, eles são percebidos como pessoas que trabalham de maneira firme, diligente e eficiente.

O momento criativo ocorre enquanto o cérebro não está sob pressão. O instante criativo ocorre em situações nas quais o cérebro humano está descansando como, por exemplo, quando um indivíduo está dormindo, descansando, em momento de lazer e descontração. Em outras palavras, quando o cérebro não está trabalhando sobre pressão.

Pessoas criativas buscam tenazmente por soluções para problemas que tenham em mãos. Embora o lampejo criativo do ser humano ocorra em ocasiões quando o cérebro está descansando, o indivíduo criativo, costuma de forma incessante, obstinada e tenaz por uma solução quando necessita resolver um problema.

Pessoas criativas tendem a aceitar a desorganização. Pessoas criativas tendem a aceitar a desorganização dos ambientes ou em situações com os quais interagem. Geralmente, elas não se preocupam com a organização dos objetos de um ambiente, nem tampouco se interessam por detalhes.

Pessoas criativas apresentam idéias originais. Pessoas criativas apresentam soluções inovadoras a problemas e situações com as quais se deparam. Elas, geralmente, procurar formas alternativas de ver e examinar fenômenos observados, bem como de formular problemas e questões. Suas idéias originais são, normalmente, resultado da habilidade que têm de fazer associações incomuns entre idéias aparentemente não relacionadas.

Evite o bloqueio do processo criativo. Diversos fatores ‘bloqueiam’ o desenvolvimento do processo criativo e dentre eles, destacam-se: medo de errar, impaciência, preconceito, falta de compromisso e apoio (financeiro), receio de mudanças, vaidade, insegurança, intolerância e impaciência. Tais fatores devem ser evitados ou contornados sob a pena de impedir o processo criativo.

O processo criativo não é previsível. O processo criativo é desordenado. Não há um conjunto de procedimentos, informando passo a passo como um instante criativo pode ser gerado. Ao contrário, ele envolve a interação e iteração de três componentes: análise, síntese e mapeamento. Assim, para desenvolver esta habilidade é necessário entender o que é criatividade. No entanto, um conjunto de dicas que o ajudarão a desenvolver novas idéias é dado abaixo.

1. Visite bibliotecas e livrarias e procure ler livros sobre os mais variados tópicos.

2. Procure ler revistas de assuntos não relacionados. Evite ler a mesma revista rotineiramente.

3. Explore outras áreas de estudos distintas da sua e busque novas idéias e teorias.

4. Seja expansivo e procure gerar muitas idéias e refiná-las.

5. Procure ter uma visão holística das coisas a fim de ter uma visão global.

6. Concentre-se em parte do problema e depois busque uma visão global.

7. Use sua imaginação, procure explorar novas idéias e possibilidades, vislumbrando possíveis idéias resultantes ou produtos.

Para saber mais sobre criatividade, sugiro ler:

O Valor da Criatividade no Ambiente Corporativo

Entendendo a  Criatividade: A Dinâmica do Processo Criativo

Entendendo a Criatividade: O Comportamento de Pessoas Criativas

Diferenças entre Criatividade e Lógica

Caracterizando a Criatividade: Diligência

Amor ao Trabalho e Excentricidade: Ingredientes da Criatividade e um Não à "Cultura de Conformidade"

Criatividade: usando persistência, desorganização e reclusão na busca do ‘momento criativo'

por ANTONIO MENDES DA SILVA FILHO

   

 

 

 

Clique e cadastre-se para receber os informes mensais da Revista Espaço Acadêmico

clique e acesse todos os artigos publicados...  

http://www.espacoacademico.com.br - Copyright © 2001-2006 - Todos os direitos reservados