Lejeune Mato Grosso Xavier de Carvalho & Sérgio Sanandaj Mattos

Sociólogos & Sociologia. História das suas entidades no Brasil e no mundo. Volume I.

 

Editora Anita Garibaldi, São Paulo, 2005 (214p.)

pedidos: claudia@anitagaribaldi.com.br


 

Prefácio do Prof. Dr. Francisco de Oliveira

“Caminho Sociológico”

 

Os sociólogos e cientistas sociais dispõem, agora, no Brasil, e quem sabe os bons ventos editoriais o permitam, alhures, um trabalho de referência importantíssima para o estudo dos sociólogos e de suas organizações científicas, no Brasil e no mundo.E de associações profissionais, também, no Brasil, visto que entre nós existe uma regulamentação da profissão de sociólogo, algo sui generis mas não sem importância também científica.

Os professores Lejeune Mato Grosso Xavier de Carvalho e  Sérgio Sanandaj Mattos debruçaram-se com carinho, pertinácia e abrangência sobre o surgimento das associações científicas e profissionais, traçaram os perfis das organizações, de seus idealizadores, de suas direções, de suas conferências científicas. É um esforço de sistematização de informações e história que fica à disposição dos que querem fazer a sociologia da sociologia e a sociologia dos sociólogos. Um capítulo da própria Sociologia do Conhecimento. Diria um adepto de Bourdieu, a constituição de uma das faces do campo da sociologia não é um resultado menor deste trabalho.

Conhecer essa história, sua formação e a de seus formadores, os temas que preocuparam os sociólogos ao longo do último século, é também conhecer parte da imensa agenda da discussão científica, política e doutrinária do breve século XX, como o denominou Hobsbawm. Poder-se-ia dizer, e para tanto basta abrir um jornal ou uma revista de atualidades e de conjuntura, e hoje a televisão e a internet, que houve uma sociologização da linguagem , à qual corresponde, não cientificamente mas fortemente influenciado por ela, uma sociologização das percepções sobre a sociedade. A influência da sociologia na mídia de todos os tipos é um dos mais impressionantes fenômenos do nosso tempo. Não há discurso ou relato jornalístico-midiático que não se faça utilizando, sem muita consciência crítica, um conceito sociológico, de classe, de pertencimento, de gênero, de etnia, de conflito. Isto não quer dizer que o conhecimento da sociedade sobre si mesma tenha melhorado o mundo, o que foi e é a esperança dos que fazem a ciência social; a advertência sociológica nos avisa que pode se tratar, também, de um véu para encobrir processos reais não muito abonadores.Desde seus fundadores, sobretudo com ênfase nos positivistas, o conhecimento do mundo se busca para melhorá-lo; mesmo os críticos mais ferrenhos, na linha de um Marx, que se recusaria a ser reconhecido como “sociólogo”, tinha uma profunda convicção de que se a arma da crítica não substitui as armas, ela é indispensável para fazer a crítica das armas.  

Esta pode ser a contribuição da Sociologia, com letra maiúscula, cujo estatuto científico o trabalho de Lejeune e Sanandaj põe de pé, inequivocamente. Os que trabalham os temas do conhecimento agora devem reportar-se a este livro, que surge num momento em que a reflexão da sociedade sobre si mesma faz-se tão urgente. Temos a tendência, particularmente entre sociólogos, de considerar nossa época como a mais crítica da História. Acautelemo-nos contra essa pretensão, mas utilizemos este livro para pensar o que o nosso campo científico pode ajudar na decifração dos grandes – e pequenos, avisa-nos a sociologia do cotidiano – enigmas de nossa época. Obrigado, Lejeune e Sanandaj, por nos ajudar nesse caminho.

(São Paulo, inverno de 2005).


Autores: Lejeune Mato Grosso Xavier de Carvalho, 48 anos, sociólogo, pós-graduado (especialista) em Política Internacional, da Universidade Metodista de Piracicaba – UNIMEP e presidente (1996-2002) da Federação Nacional dos Sociólogos – Brasil – FNSB. Atual vice-presidente do Sinsesp (gestão 2004 a 2007). Autor dos livros Conflitos internacionais num mundo globalizado (2003, 2ª edição); Luta antiimperialista e a hegemonia americana (2004, 1ª edição), ambos pela Editora Alfa Ômega e Sociologia e ensino em debate (2004, 1ª edição), Editora da Unijuí e Sérgio Sanandaj Mattos, 53 anos, sociólogo, aposentado da Companhia Energética de São Paulo – CESP. É também licenciado em Ciências Sociais. Foi diretor da Associação dos Sociólogos do Estado de São Paulo (Asesp) nas gestões 1989/91 e 1991/93 e do Sinsesp 1991-1994 e 2004 a 2007. Foi professor de Sociologia e Sociologia da Educação em escola da rede particular de ensino. É co-autor de "Sociólogos e Sociologia: Breve Cronologia da História da Ciência, da Organização Estadual e Nacional e da Profissionalização no Brasil" (Cadernos da Federação Nacional dos Sociólogos, nº 1, março, 1997).

Prefaciador e apresentador: O livro tem como prefaciador o Prof. Dr. Francisco de Oliveira e o Prof. Dr. Nelson Dacio Tomazi.

Conteúdo do livro: O livro, pautado por um exaustivo conjunto de informações, e uma sólida pesquisa, ao longo dos anos pelos autores, apresenta o itinerário histórico de 13 entidades científicas e profissionais, da Sociologia e de Sociólogos, no Brasil e no mundo. O resultado é uma obra de reconstrução,  reconhecimento histórico e de resgate da  memória dessas entidades. É formado por um  breve resumo histórico, perfil institucional, diretorias mais recentes, congressos, presidentes, de 11 (onze) entidades, a saber: a International Sociological Association (ISA), Internacional  Institute of Sociology (IIS) ,International Rural Sociology Association (IRSA) Asociacion latino-americana de Sociologia (ALAS) Asociacion latino-americana de Sociologia Del Trabajo (ALAST) Asociacion latino-americana de Sociologia Rural (ALASRU), Associação dos Sociólogos do Brasil (ASB), Federação Nacional dos Sociólogos do Brasil (FNSB),  Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS), Associação dos Sociólogos do Estado de São Paulo (ASESP),  Sindicato dos Sociólogos do Estado de São Paulo (SINSESP). Além de um resumo histórico de cada entidade, são incorporados ao longo do livro,  96 (noventa e seis) apontamentos biográficos de destacados sociólogos, professores, que presidiram as entidades mencionadas, na sua maioria seguida de uma ilustração elaborada a partir de foto dos ex-presidentes. Neste percurso, de resgatar a memória histórica das entidades de sociologia e dos sociólogos, foram revisitados congressos, encontros, e são apresentados aos leitores,  dados como temáticas, cronologia, datas, e local desses congressos. Buscando-se ressaltar a importância e visibilidade de seus eventos, são enfatizados aspectos cronológicos e temáticos de 119 (cento e dezenove) congressos, distribuídos por 16 (dezesseis) congressos da ISA, 36 (trinta e seis) congressos do IIS, 10 (dez) congressos da IRSA, 24 (vinte e quatro) congressos da ALAS, 4 (quatro) congressos da ALAST, 6 (seis) congressos da ALASRU, 6 (seis) congressos da ASB, 6 (seis) congressos da FNSB, 11 (onze) congressos da SBS, 11 (onze) congressos da ASESP/SINSESP. Os dados compõem a reconstituição de uma história desde a fundação do Instituto Internacional de Sociologia, em 1893, na França, por René Worms, na qual Emile Durkheim e Max Weber participaram ativamente. Uma visão potencializadora e representativa, têm lugar adequado e reafirma-se através da  apresentação nominal em ordem alfabética dos 73 (setenta e três) diretores da Sociedade Brasileira de Sociologia, a partir da retomada de suas atividades em 1985. Também, apresenta-se em ordem alfabética, os nomes de 235 (duzentos e trinta e cinco) diretores da Associação dos Sociólogos do Estado de São Paulo, desde a sua fundação em 1971 até a última gestão. Incluem-se, ainda, nominalmente em ordem alfabética os 106 (cento e seis) sociólogos que integraram as 9 (nove) gestões do Sinsesp, desde a sua formação. Neste trajeto de convergências e divergências, o livro  constitui-se, sem duvida, em um apaixonado manifesto dos autores pela história da ciência e da identidade da profissão. A publicação do livro contou com o apoio do Sinsesp.

Como adquirir o livro: O livro pode ser obtido diretamente da editora Anita Garibaldi pelo e-mail  claudia@anitagaribaldi.com.br com pedidos para Cláudia ou ainda pelos telefones 11-3266-4312 ou 3289-1331. Pode-se efetuar depósito em conta corrente (Banco Itaú, agência 0251, c/c nº 48.678-3), no valor de R$25,00 (já incluso as despesas de remessa pelo correio por carta registrada, com entrega em até cinco dias). Enviar fax para os números de telefones da editora com o comprovante de depósito. Para pedidos de vários livros, descontos especiais. A aquisição pela página da Editora é também possível no endereço www.anitagaribaldi.com.br (o pedido pode ser feito pelo sistema de cartões de crédito também).

 

Clique e cadastre-se para receber os informes mensais da Revista Espaço Acadêmico

 

http://www.espacoacademico.com.br - Copyright © 2001-2005 - Todos os direitos reservados